quarta-feira, 4 de abril de 2012

Insegurança faz Ufba pedir socorro à PM

Após a denúncia de assédio sofrida por uma professora e alunas da Universidade Federal da Bahia (Ufba), no último dia 13, a reitora da instituição, Dora Leal Rosa, visitou na manhã de terça-feira (3), o Quartel dos Aflitos, para pedir ao Coronel Alfredo Castro, comandante geral da Polícia Militar da Bahia, o apoio da PM no reforço do policiamento no entorno dos Campi da universidade em Salvador, Vitória da Conquista e Barreiras.

A reitora expôs o processo de expansão da universidade, com a consequente criação de 33 cursos noturnos e a insegurança dos estudantes nos pontos de ônibus, especialmente após as 20 horas.

Castro acatou a demanda e imediatamente convocou os comandantes dos batalhões responsáveis pelas áreas de Ondina, Federação e Canela para uma reunião, com a participação do Coordenador de Segurança da Ufba, para já tratar de detalhes operacionais, de modo a colocar em prática o reforço solicitado a partir da próxima semana.

Nesta quinta-feira (5), a reitora da Ufba, Dora Leal, terá uma reunião com o Coronel Castro discutir ações de segurança dentro e no entorno da Universidade.

Insegurança -
No último dia 13, a professora Alinne Bonetti, 39, e mais seis alunas da Ufba, que esperavam o ônibus na Avenida Adhemar de Barros, Ondina, às 22h, tiveram que presenciar um homem se masturbando para elas no ponto de ônibus. Em agosto de 2008, uma estudante de Dança foi violentada sexualmente no campus de Ondina.Na época, mais de 100 estudantes foram para porta da reitoria. Os relatos de roubos e agressões são constantes na Avenida Adhemar de Barros. As mesmas queixas no campus de São Lázaro, na Federação, também continuam.



fonte:BocãoNews

Um comentário:

  1. Sem falar que não querem que seus alunos sejam abordados... Kkkkk

    ResponderExcluir